Perguntas Frequentes
Marquise Ambiental
Início - Perguntas Frequentes

A reciclagem permite a reutilização dos resíduos como matéria-prima de novos produtos, o que reduz o consumo de recursos naturais e poupa o meio ambiente.

Tudo o que pode ser reciclado e está limpo e seco – como plástico, metal, vidro e papel – deve ser destinado ao lixo seco. O que não pode ser reciclado ou está sujo e molhado – sobras de alimentos, papel ou plástico sujo – vai para o lixo úmido. Em cidades onde não há coleta seletiva, o lixo seco pode ser entregue a associações de catadores ou em postos de recebimento. Nas cidades em que há coleta seletiva, basta deixar de fora o lixo reciclável no dia do recolhimento.

São materiais que não podem ser colocados nos contentores, ir para a reciclagem nem despejados na rede de esgoto. Em geral, proveem de hospitais e clínicas e contêm substâncias que podem causar danos à saúde. Também são contaminantes os resíduos de substâncias tóxicas, inflamáveis ou radiativas e objetos cortantes ou perfurantes.

É o termo, mais comumente utilizado em Portugal, para denominar eletrodomésticos, equipamentos eletrônicos, móveis velhos e outros objetos descartados que, pelas suas características ou seu volume, não podem ser depositados nos ecopontos nem nos caminhões de lixo. Algumas cidades mantêm um serviço especial de recolhimento desses objetos.

Uma alternativa é oferecer o objeto a uma instituição social que mantém bazares para a venda desse tipo de material. Caso o objeto não se preste ao uso, é preciso buscar informações na prefeitura para saber o que deve ser feito.

Medicamentos sem uso ou fora do prazo de validade devem ser entregues nas farmácias. Não podem ser despejado nos aterros sanitários, pois contaminam o solo e a água.

Algumas cidades mantêm pontos de recolhimento de óleos usados, que depois são transformados em biodiesel e outros produtos. Isso evita que esses detritos sejam lançados nas redes de drenagem e provoquem poluição. Informe-se na prefeitura de sua cidade.

Abreviatura de resíduos sólidos urbanos, ou seja, o lixo doméstico do dia a dia.

É uma instalação utilizada para a deposição controlada de resíduos, acima ou abaixo da superfície natural, que comporta três atividades: lançamento ordenado dos resíduos, que são cobertos por terra ou material semelhante; controle das águas lixiviantes e dos gases produzidos; e monitoração do impacto ambiental durante e depois da operação.

Não, desde que cumpram as normas legais de funcionamento.

É o local para onde são encaminhados os resíduos provenientes dos ecopontos e ecocentros. Depois de selecionados com base no tipo de material, os resíduos são destinados à indústria de reciclagem.

É um centro de recepção de resíduos, que, por processos manuais, mecânicos, físicos, químicos ou biológicos, altera as características do material para reduzir seu volume ou periculosidade e facilitar a movimentação, a valorização ou a eliminação.

É um processo utilizado para eliminar resíduos perigosos por meio de alta temperatura (de 900 a 1.250ºC). Também pode ser incinerado tudo o que, sendo orgânico, já não é reutilizável ou reciclável. A queima do lixo reduz o volume a ser descartado e o impacto ambiental e prolonga a vida útil dos aterros sanitários.

É a decomposição controlada de matéria orgânica, realizada por microrganismos (bactérias e fungos) para obter material estável, rico em húmus e nutrientes minerais, apropriado para ser usado como adubo.

A reciclagem contribui para reduzir a quantidade de lixo a ser enviado aos aterros sanitários, o que poupa água e energia, diminui a poluição e preserva os recursos naturais.

Ligue para a prefeitura de sua cidade e informe o local para que eles encaminhem o procedimento necessário.

Ligue para a prefeitura de sua cidade para saber se existe serviço de recolhimento. Se não houve, você terá de contratar uma empresa especializada.